quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Um ramalhete de flores!

Partiu a Dona Lola, com seus 95 anos. Ela morava na Rua do Cascalho. Era uma mulher de fibra. Gostaria de oferecer a ela um ramalhete de flores, retribuindo a seu gesto inúmeras vezes repetido de marcar sua presença nos velórios, colocando um raminho de flores ao pé do morto. Um recado delicado da parte dela. Tia Lola criou meu irmão, o Tião, que ganhou o apelido de Tião da Lola.Também Madrinha Ana, minha irmã, viveu alguns anos ao lado da dia, quando do falecimento da sua mãe, Maria Leonor, e com ela muito aprendeu.

Quem não se lembra das jabuticaba da Dona Lola. Ela fazia um verdadeiro esquema
de revezamento de famílias, para que todos pudessem degustar das deliciosas frutas do
seu quinta, um quarteirão de jabuticabeiras. Eu era pequena e estava lá disposta a chupar fruta até não aguentar mais,
ela decretou: Os meninos do Edmundo já podem ir embora! Era franca e direta. Fui
contrariada. As frutas da Tia Lola eram as mais doces da cidade.
Quero aqui solidarizar com a dor  dos parentes mais chegados, dos meus irmãos, Ana Maria e Tiãozinho que, com certeza, sentirão falta desta mulher, exemplo de fortaleza e longevidade. Recebam todos os meus pêsames!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário